Como as collabs entre artistas ajudam no cruzamento de audiência

Profissionais do mercado musical separam dicas para artistas que pensam em promover parcerias e feats

Num bate-papo sobre collabs durante o ONErpm Academy de 2020, Fabiane Pereira, jornalista, Léo, da Casa 1, e Alvaro Benevente, da Bloom, falam sobre a popularidade das collabs e como estas ações podem impactar na carreira dos artistas. Léo conta como percebeu a oportunidade de ampliar a audiência do seu canal RapBox quando, em 2016, queria fazer uma edição especial para comemorar a edição número 100 dos vídeos de seu canal no YouTube e chamou rappers diferentes para criar cypher, que é a participação de diferentes nomes cantando a mesma música. O formato, que era novidade na ocasião, teve tanta repercussão que passou a ser uma nova linguagem do rap, que se tornou popular na cena. 

Este formato de collab que traz artistas diferentes em uma mesma produção ampliou a audiência de todos os participantes pois somou o tamanho das redes de cada um deles, o que é um dos principais ganhos deste tipo de parceria. Alvaro, que tem experiência entre gamers e na música, recomenda que collab seja um processo contínuo na parceria e pode ser uma oportunidade também de ação para os que estejam em início de carreira

Os especialistas em collab trazem algumas orientações e dicas sobre como se programar para uma collab, como:

– antes de pensar em uma collab, é importante que o artista já tenha alguns trabalhos lançados para a partir daí conseguir se aproximar de potenciais parceiros, pois só assim é possível mapear similaridades e complementos tanto de estilos como de fãs. 

– vale também entender que as feats não precisam ser  sempre com nomes mais conhecidos pois é possível garantir muitas vezes um aumento no alcance e maior parceria na divulgação do trabalho quando os artistas estão no mesmo momento de sua carreira. 

Existe uma dúvida comum no mercado sobre artistas maiores cobrarem para participarem de collabs com nomes que ainda tenham números pequenos. Por conta do grande impacto que estas parcerias podem trazer para os menores, é comum existirem acordos em relação aos direitos da faixa produzida em conjunto. A mistura de estilos musicais, como pop e rap,  reggae e rap, rap e jazz ou pagode e sertanejo, também podem dar certo. Uma recomendação é que os participantes de uma collab combinem os detalhes do projeto antes de criarem a faixa em conjunto, como questões contratuais, divulgação e prazo para evitar frustrações futuras. No restante, é apostar nas collabs como uma das maneiras mais eficientes de ampliar sua audiência.

E aí, curtiu? Conteúdos como esse e muito mais você pode encontrar no ONErpm Academy Edição 2021!

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar