Gestão financeira para Artistas com Especialistas do Mercado musical

Composto por Froid (Alaska), Kamila Fialho (K2L) e Arthur Fitzgibbon (ONErpm), o bate-papo sobre artistas empreendedores foi um dos principais destaques na primeira edição do ONErpm Academy

Arthur Fitzgibbon, presidente da ONErpm no Brasil, Kamila Fialho, CEO da K2L e Froid trouxeram importantes tópicos sobre a importância da gestão financeira na carreira artística no ONErpm Academy de 2020. Desde o início da indústria do streaming, quando a execução das músicas nas plataformas passou a gerar receita para os artistas, houve uma mudança importante neste mercado, que até então tinha a venda de CDs como sua principal fonte de renda. 

Froid lembra de já ter iniciado sua carreira neste formato digital e ter usado o primeiro valor que recebeu do streaming para comprar um microfone. De lá até hoje, segue usando todos os recursos gerados pelas plataformas para criar e promover suas faixas e assim potencializar sua audiência em streams que se convertem em receita para seguir com sua carreira. Sua gestão financeira levou em conta considerar o lucro gerado no digital como um fundo de investimento para que assim pudesse fazer novas produções, sempre escolhendo as que tivessem maior chance de terem mais sucesso para assim manter o ciclo sempre ativo e no positivo. Já Kamila, que trabalha com funk, faz o movimento inverso na gestão de seus artistas, planejando quantas faixas serão necessárias para gerar receita pelo streaming para antecipadamente criar todas as estratégias de marketing e investimentos necessários.

Arthur prevê que o mercado brasileiro de streaming deva manter o crescimento acelerado pelo menos até 2026 e vê uma diferença em relação à receita gerada no Brasil e nos EUA, onde se recebe cerca de 10 vezes a mais pela mesma quantidade de streams. Esta alta no mercado nacional trouxe de volta a prática dos adiantamentos, quando artistas recebem um valor antecipado antes do lançamento de suas faixas. Este cenário é um dos que exigem mais atenção dos artistas e equipes para que estes valores sejam administrados da maneira mais estratégica possível. Kamila acredita que essa prática de adiantamento não é recomendável para artistas em começo de carreira pois é importante ter uma segurança maior para poder lidar com imprevistos e usar de fato o valor para investir na carreira sem risco de acabar criando uma dívida a médio e longo prazo. Froid concorda com a importância de ter uma carreira solidificada e ter um planejamento para conseguir usar o valor como investimento no negócio e, especialmente com a criação de seu selo, Alaska, consegue olhar para diferentes artistas e lançamentos que trarão a receita de volta.

Quando se fala de gerenciamento financeiro, um ponto importante a ser levado em conta é a diversificação nas fontes de receita além do stream e shows, o que pode incluir a venda de produtos e roupas, campanhas com marcas, sorteio com público alvo que depois possa se interessar por ações do artista e fazer uso do mailing para manter o ciclo de divulgação ativo para novas ações. Por fim, o planejamento da frequência de lançamentos é um dos pontos mais importantes  para que o artista consiga garantir uma boa gestão financeira, especialmente a médio e longo prazo. Trabalhar com um calendário que permita ter um número bom de lançamentos previstos é fundamental para que seja possível um bom planejamento financeiro. Procurar aprender maneiras de administrar as finanças é um dos melhores caminhos para ir aprimorando este processo, e a atual disponibilidade de cursos permite que todos tenham esta oportunidade.

O que você achou deste conteúdo? Esse e muito mais conteúdos sobre o mundo da música você vai poder encontrar no ONErpm Academy deste ano. Inscreva-se para participar!

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar