O mercado do forró e os principais desafios em tempos de pandemia

Os principais escritórios de forró do nordeste falam sobre o fortalecimento do digital e os desafios trazidos com a quarentena

Axé | ForróBrasilBrasilForróÚltimas Notícias

A quarentena pegou todos de surpresa e com o mercado da música não foi diferente, mas aos poucos ele foi se adaptando à nova realidade. O cancelamento de shows e turnês trouxe um desafio ainda maior para os artistas e escritórios que tiveram que se reinventar e trabalhar exclusivamente no ambiente digital.

Nesse contexto, a ONErpm convidou representantes de 4 grandes escritórios que trabalham com o forró no nordeste para um bate-papo sobre o impacto do digital na receita dos seus artistas. Felipe Marques da Faz Mídia, Hélio Fernandes da AZO Digital, Fabio Almeida da Ultra Promo, Leniel Filho da Mais 55 e Ozair Carvalho da A3 participaram de um bate-papo com a equipe especializada no gênero da ONErpm e abriram suas impressões sobre o momento em que estamos vivendo.

Como notado em outros gêneros musicais, o catálogo de músicas antigas de artistas do forró também teve uma movimentação, faixas antigas ganharam mais força no digital, beneficiando diversos compositores, editoras, escritórios e os próprios artistas.

Essa pandemia nos pegou de uma forma muito brusca. Com a falta de shows e trabalho dos artistas, a era digital se tornou muito forte, tanto nas plataformas como no YouTube.  (…) inclusive, trouxe músicas antigas pro mercado, voltaram à ativa. Como trabalho com muitos compositores, isso ajudou muitas editoras que vão se beneficiar bastante com isso.
Ozair Carvalho (A3)

Analisando o histórico do mercado da música digital no nordeste, Hélio Fernandes (AZO Digital) destacou que a região, de uma forma geral, está assimilando e consumindo cada vez mais o ambiente digital. E complementa:

Essa pandemia trouxe a importância da gente estar cada vez mais investindo nas nossas bases, muitos não fortaleceram os seus canais de YouTube e inscritos e agora, nesse momento das lives, as pessoas começaram a entender a necessidade de ter essa base fortalecida e ter nisso uma forma de sustento.
Hélio Fernandes (AZO Digital)

O planejamento e a antecedência são pontos essenciais para um lançamento sustentável e consolidação de carreiras, esses pontos foram destacados por Leniel Filho (Mais 55) que trouxe uma reflexão sobre o gênero e a importância desses dois assuntos. 

Tudo no forró é muito feito às pressas, num momento como esse em que é necessário planejar um calendário de lives e lançamentos, muitas bandas não tem um conteúdo para fazer isso. A pandemia veio para bater nessa tecla que a gente tem que ter nosso planejamento anual dos lançamentos, conteúdos bem planejados e atenção máxima para o online.
Leniel Filho (Mais 55)

O forró encontrou nessa pandemia um motivo a mais criar raízes no digital, Felipe Marques (Faz Mídia) destacou a consolidação das plataformas e YouTube no trabalho dos artistas e escritórios de forró pelo nordeste.

O processo do forró ser inserido de vez no digital veio na pandemia (…) com a chegada da pandemia e tendo que achar outros meios de manter suas estruturas, as  lives vieram com tudo, ativação das marcas do nordeste estão vendo o potencial do forró. As marcas e parceiros nossos aqui estão deixando de anunciar na TV e investindo em lives porque sabem que vão dar mais retorno.
Felipe Marques (Faz Mídia ) 

Esses são apenas alguns pontos levantados pelos principais escritórios do gênero durante a o bate-papo com a ONErpm. Confira na íntegra no nosso canal no YouTube: 

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar